1.5.07

Afinal, sempre admitiu...

Isabel Soares primeiro esforçou-se por empurrar as responsabilidades para a REN da situação criada com o impróprio atravessamento da linha de Alta Tensão pelo concelho de Silves. Depois dos responsáveis da REN reunirem com o Executivo, com membros da Assembleia Municipal e dois dos presidentes de Junta de Freguesia do concelho alterou a sua posição. Na reunião da Assembleia Municipal, debaixo do fogo cerrado dos moradores e da Oposição, enveredou por empurrar as coisas para os técnicos, com quem tudo tinha sido tratado, disse. Mas perante a frágil situação defendida por Rogério Pinto, presente numa reunião em 13 de Julho de 2006 que antecedeu o período de audiência ao público do Estudo de Impacte Ambiental, na qual este não manifestou quaisquer reservas, nem deu devida importância e comunicação (provavelmente nem à Presidente), acabou por admitir o falhanço da actuação camarária. O que inevitavelmente fragiliza a posição da autarquia em quaisquer démarches que pretenda realizar agora para alterar a situação criada. Resta assim a determinação dos moradores e de quem com eles se solidarizar para continuar a luta e conduzir a solução do problema para quem a pode agora realmente solucionar: o governo.
Mas porque a incompetência sempre tem um preço e os responsáveis devem ser realmente nomeados, mesmo quando confessam os seus erros, aqui deixo mais uma vez a nota de imprensa da CDU/Silves e a notícia que dela fez o Região Sul on-line.

2 comentários:

Carlos Cabrita disse...

Maunel Ramos,

Pela sua actualidade e novos desenvolvimentos, solicito a publicação desta resposta a Joaquim Santos neste teu "Comentário" e não no anterior, que me suscitou este "escrito".

Obg,

CC

Senhor Joaquim Santos,

Há oposição e Oposição!...

A oposição em Silves tem vários nomes, como sabe: BE, CDU, Carneiro Jacinto e PS.

Para chegarmos à discussão do assunto na AM e à vinda da REN a Silves foi o BE que solicitou na Comissão Permanente da AM a vinda desta entidade a uma sessão deste Órgão. O BE e a CDU solicitaram insistentemente a inclusão deste assunto na ordem de trabalhos do plenário da AM. Soubemos agora, que Carneiro Jacinto também tinha sugerido a vinda da REN cá, contrariamente ao que tínhamos percebido, que o assunto estaria bem encaminhado e que se resolveria facilmente, baseado em contactos telefónicos com o presidente da REN, Eng.º José Penedos.

Desde que o assunto veio a público, ainda tivemos tempo para detectar e denunciar (no “site” do BE) a fixação dos Éditos fora do prazo e efectuar na Assembleia da República dois requerimentos (ainda não respondidos), aos Ministros do Ambiente e Economia, para esclarecimento desta e doutras situações.

Para o desvio desta LAT de Vale Fuzeiros, sem prejudicar outros, temos a nossa estratégia, que não está esgotada, nem passava exclusivamente pela realização desta AM.

Passa, para além da acção do BE, pelo trabalho das populações já envolvidas, que muito respeitamos e enaltecemos, e pela própria instituição Câmara Municipal de Silves. A CMS que esteve “apática”, numa primeira fase, vai ter que tornar-se mais interveniente, sob pena de cair sobre si o ónus do prejuízo causado às populações.

O seu a seu dono!

Carlos Cabrita, Membro do Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Silves


PS – Caro Joaquim, o senhor e o seu___________ também pode(m) dar uma ajuda…

Joaquim Santos disse...

Exº Senhor
Quando referi não há oposição referia me, a oposição de alternativa a situações.
A Presidente tomou uma decisão e qual era a da oposição?
Eu para analisar os potenciais autarcas tomo a atenção a sua alternativa e não a quem critica melhor. Se formos por ai garanto que prefiro os do “Gato Fedorento” ao contrário de toda a oposição.
A sua oposição e interessante despoleta as situações e desenvolve. Mas quando chega a alternativa essa já é um pouco estranha. E desculpe que lhe diga eu é que não partilho a sua visão politica que o seu partido.
Em relação a LAT , pois vou aguardar quem vai solucionar esta situação a contento das populações. Pelo menos mostra quem tem mais influencia e capacidade.
Pelo que me pude aperceber pelos traçados sempre o que passa pela serra.
Joaquim Santos