17.6.08

Reunião Ordinária da Câmara Municipal - 18 de Junho de 2008

Realiza-se amanhã, como já referira, uma reunião ordinária da Câmara, com início dos trabalhos às 9.30h.
A Ordem de Trabalhos é a seguinte:
1. Aprovação da Acta;
2. Informações;
3. Antes da Ordem do Dia;
4. Processos de Obras Particulares(37 itens);
5. Processos de Obras Municipais (2 itens);
6. Assuntos Diversos (28 itens).
O destaque é dado, nas Obras Municipais, à apresentação por parte da Sociedade Polis de mais algumas facturas respeitantes ao "Arranjo Interior do Castelo de Silves" e da empreitada de "Reabilitação Urbana do Centro Histórico de Silves", esta última muito mais atrasada e que, nos termos do novo concurso agora lançado (a empresa responsável já foi), tem prazo de 23 meses. Temos por isso Polis por mais dois anos, onde mais dói, quero dizer, onde vivem as pessoas que diariamente convivem com o cenário de guerra que nos Desabafos já denunciei. Prioridades!...
Nos Assuntos Diversos, além das habituais alterações orçamentais (agora até o habitual Festival da Cerveja não está previsto em orçamento, e terá que ter próxima alteração orçamental para cabimento), temos os pedidos de licença de ruído, os pontuais apoios às actividades desportivas solicitados por associações e clubes e, mais interessante, o pedido de declaração de interesse municipal para um Parque Tecnológico de Investigação e Desenvolvimento denominado "Villa I&D de Silves", no sítio dos Medeiros à Ribeira (frente à Lara, lado norte: veja aqui). Mas não se entusiasmem muito com o rebuscado nome, com a moderna iniciativa, com a futurista proposta. Ninguém precisa para um projecto destes de declaração de interesse municipal, a não ser que queira construir onde o PDM não deixa. A RAN, a REN e o novo PROT continuam a colocar para alguns demasiados obstáculos à construção em terrenos agrícolas e o golfe, enquanto âncora urbanizante, mais dia menos dia já era...Assim, e como o novo PROT se farta de falar disso, temos aí o novo paradigma, a I&D (Investigação e Desenvolvimento) coisa que Silves já não tem desde o tempo em que os mouros cá andaram!
Quanto ao objecto de I&D em causa nem uma palavra, agora o que se diz e citando, a coisa pretende-se "(...) assumir como um espaço residencial e hoteleiro de apoio/complemento à função de I&D, de excelência, pautado por um novo modelo de vida." (é I&D ou modelo de vida?!) E, mais adiante, cá está: (...) esta área comportará no máximo 2500 residentes, entre os habitantes permanentes e temporários, podendo gerar 2000 postos de trabalho directos"(!). Ora aí está, uma nova Silicon Valley...às portas de Silves.

13 comentários:

Toni disse...

Junta-se o útil ao agradável, o Antero precisa de contruir umas casitas, a Zabelinha precisa de guita, men, tás a ver, uma cena moderna é o que eles precisam, áreas para hipermercados e parques de diversão já eram, não têm interesse público! Ela ou o ilustre Zézinho, o filhote, futuro presidente do clube de tiro aos pratos do enxerim ainda ficam com um apartamentozito de borla e tudo, espectáculo pá, porreiro pá, granda noia.

Anónimo disse...

Com o que aconteceu o ano passado já se previa que este ano o Festival da Cerveja seria uma miragem. Por isso gostaria de perguntar se este ano há ou não há Festival?

José Meireles

Manuel Ramos disse...

Não há.! Tomei hoje conhecimento na reunião de um comunicado do SFC em que informa não estarem reunidas as condições para o fazer.

Anónimo disse...

Era o que eu previa e temia. Foi dado o golpe final. Uma festa com decadas extingue-se, pura e simplesmente. Deixaram morrer facilmente, o que outros com tanto sacrificio, empenho e suor puseram de pé. Agora só nos resta ir até Albufeira tomar uma cerveja, porque certamente lá surgirá a nova festa da Cerveja.
Enfim ... vamos esperar pelo que se segue.

José Meireles

Anónimo disse...

Não sei se vocês têm andado a dormir ou se têm estado distraídos mas o festival da cerveja morreu há alguns anos...

Anónimo disse...

Sr. Vereador
Mais uma vez lhe peço o favor de perguntar ao executivo permanente em que ponto está o PU de Silves. Já fui à Câmara à Divisão de Planeamento e Informação Geográfica mas, como o responsável não estava, ninguém adiantou nada.
Espero que desta vez se lembre! Embora, claro, com uma ordem de trabalhos tão interessante, não deve haver lugar para tal... Mas como o sr. está junto do poder, talvez fosse mais fácil e depois ... sempre seria da boca da Presidente.
No post anterior, alguém deu como explicação a constitição da equipa. Mas não deve ser ... Bem sei que 7 geógrafos é obra ...
Se calhar aquela divisão foi promovida a faculdade de geografia!

Manuel Ramos disse...

Não sei porque diz isso (espero que desta vez se lembre).
O Plano de Urbanização está pronto; há muitos meses que assisti à sua apresentação numa sessão apresentada pelo dr. Ricardo Tomé (tenho inclusive um CD com toda a documentação). Penso que o que falta agora são adaptações de pormenor eventualmente sugeridas pela CCDR para que vá depois à Assembleia Municipal para aprovação.
Ainda hoje na reunião falei dele a propósito de alguém (não sei se o senhor) que aqui referiu a existência de reclamações, nomeadamente, da Associação de Regantes. Mas essas, ainda que compreensíveis do ponto de vista do reclamante, não o são do ponto de vista público, se bem me entende...

Tânia Mealha disse...

Resta saber se o Piaget Silves irá ter papel preponderante na inovação tecnológica dessa I&D, à semelhança da Universidade de Stanford em Silicon Valley. Já agora também gostava de saber que inovação de alta tecnologia se prevê com esse projecto!? Não estou a ver aqui uma Hewllet-Packard, nem uma Guerra Mundial futura que propicie o desenvolvimento da investigação universitária com fins de intelligence!
E ainda gostava que esclarecessem o que é uma I&D como modelo de vida. Soa assim a Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley... e diferenças entre "castas" é coisa que já existe, por isso não vejo a necessidade de criar um projecto, podiam estudar o já existente, não concerteza uma inovação tecnológica. O mais engraçado é que neste Admirável Mundo Novo nem há soma para a malta relaxar e incutir algum convívio social, acabou-se o Festival da Cerveja!

Anónimo disse...

Agradeçam à Belinha e ao seu querido mano o FIM do festival da cerveja.
Obrigado!

José

Anónimo disse...

E o estado em que Silves está.

Zézinho disse...

Eu sei como se faz uma zona de investigação e desenvolvimento:
Faz-se um ou dois armazéns, faz-se uma vedação à volta e coloca-se um letreiro a dizer "I&D" sem mais nada para as pessoas perguntarem "o que será isto?".
Depois espera-se que o Bill Gates nos contacte a perguntar se queremos vender o armazém.
Isto ensinou-me a mamã!

António disse...

Como vereador consegue dizer-me o motivo de o dia das marchas em Silves, não terem ocorrido na altura de S. António. Custa-me acreditar o motivo porque tal não aconteceu, segundo consta, alguém podia ser avó nessa altura e pensou em alterar. Se assim foi o cacetismo está mesmo no seu auge nesta cidade.

Manuel Ramos disse...

O St. António e o S. Pedro tiveram marchas na véspera dos seus respectivos dias. O S. João é que destoou, já que teve marcha no dia 22, quando a véspera seria em 23. Coincidência ou não, o netinho nasceu no dia 24, e é por isso, João.
Alguém pode (eu não estive lá) confirmar a presença da presidente em alguma dessas marchas (só por curiosidade, já que estranhei a sua ausência na Assembleia Municipal e já a adivinho na próxima reunião camarária com audiência ao público do dia 2 de Julho)?