8.6.09

Novo blogue no concelho de Silves


A luta dos Amigos de Armação contra a instalação do apoio balnear na sua praia, e por outras causas importantes que interessam esta vila, continua. Depois de voltarem na última quarta-feira a estar presentes na reunião pública de Câmara, onde voltaram a reafirmar a sua determinação, mas durante a qual acabou por ser adiada para amanhã a votação da ratificação da resolução fundamentada que a Presidente (sublinho Presidente, porque a restante vereação não teve dela, nem do já célebre despacho, conhecimento prévio), a recém-criada Associação faz agora uso da Internet para levar mais longe os seus objectivos.

Refiro-me à criação de uma petição on-line contra a localização do referido apoio balnear, à criação de um novo blogue que podem consultar aqui e nas ligações laterais, e de um perfil no célebre Hi5, que não uso. O blogue já o consultei e acho uma excelente ideia para a divulgação pública das iniciativas da Associação; a petição não assinei por ser co-responsável no licenciamento do referido espaço que, ainda legalmente licenciado, não tem certamente o local mais apropriado, e cuja localização deve ser alterada; mas não quando está praticamente terminado e estamos em início de época balnear. Quem ressarceria o proprietário das perdas e danos? Quem daria ordem de demolição? Compreendo os receios da população: depois da obra acabada e a funcionar, quem lhes garante que os compromissos de deslocalização serão cumpridos? Eu digo: irão ser, haja dos armacenenses empenhamento. Podem contar com o meu para o cumprimento das promessas que em nome da autarquia a Presidente formulou. Compromissos formais exigem-se: estamos à beira de eleições, autárquicas e legislativas, podendo vir a alterar-se algum dos protagonistas. Também não assinei a petição porque discordo da oportunidade da interposição da providência cautelar, pelas razões já invocadas, isto é, não vai tirar o apoio donde está, vai simplesmente incapacitá-lo de trabalhar. Mas também não concordo com a fundamentação apresentada unilateralmente pela Presidente, sem ouvir o plenário, pelas razões que já comuniquei em reunião pública e que, considero, no mínimo, ridículas e gravosas para o bom nome da vila e da sua - extraordinária - praia. Votarei, por isso, contra, embora isso pouco valha, a não ser para que o Tribunal perceba o valor do documento que lhe apresentam. Enfim, estou do vosso lado na compreensão do problema e no empenho para a sua solução; divergimos, porém, na forma da atingir, o que é menor.

Felicidades para Armação e para os seus "novos amigos"!

10 comentários:

Joaquim Santos disse...

Exº Senhor Vereador
Solicitava a V. exª que de acordo com a conta de gerência que foi a Assembleia Municipal qual foi o valor pago a Firma de advogados PJLM. Acredito que na lista de fornecedores deve lá constar.
Com os melhores cumprimentos

Joaquim Santos

Manuel Ramos disse...

Para já, posso dizer-lhe que não faz parte do rol de credores, o que já é esclarecedor!
Quanto ao que foi pago, irei tentar ver se existem elementos na conta de gerência. Não creio.

Zé do Peixe disse...

Penso que face ao teor da Resolução Fundamentada, os honorários tenham sido oferecidos!!!

De qualquer forma, aproveito para saudar, felicitar e incentivar os Amigos de Armação, porque estão a demonstrar o que é exercer a cidadania pro-activa, accionando, para o efeito, os mecanismos legais que tem ao seu dispor, até agora com sucesso!

Já discordo da posição do Sr. Vereador, quanto à tal questão dos meios e da legalidade do licenciamento... quanto à primeira, sou da opinião que se os armacenences ficarem à espera que o Município de silves se comprometa a fazer algo por eles, bem podem morrer amanhã, porque basta dar um passeiozinho por Armação para constatar o espezinhamento politico de que eles têm sido alvo! Quanto à legalidade do licenciamento, pois, parece-me que seja melhor o Sr. Vereador deixar quem entende dessa matéria pronunciar-se, a saber, os Tribunais, e não o Senhor Vereador que ainda há pouco tempo afirmava ser da competência da Câmara ordenar a demolição de obras ilegais....

Com os melhores cumprimentos...

Sónia Oliveira disse...

Exº Senhor Vereador
Agradeço em meu nome pessoal as suas palavras, pois apesar de pertencer ao grupo dos amigos de Armação, sou independentemente disso uma cidadã, por isso contribuinte para o estado em geral e para este concelho em particular.
Tenho também através da minha actividade comercial, que está relacionada com o turismo óbviamente, não estivesse eu em Armação de Pêra.
O que direi eu aos turistas quando me abordarem acerca da nossa praia "impestada" de concessões...
Este ano tenho a resposta na ponta da lingua (dirigi-los á Câmara e mostrar que alguém está finalmente a tentar abrir os olhos a quem governa no sentido de uma igualdade de direitos), no entanto existem tantos pontos onde iremos chegar que estaria aqui uma noite inteira a escrever...
E disso trataremos em sede própria e com projectos que estamos a preparar, a nossa Presidente que anda agora a fingir que não existimos e não nos responde acerca dos assuntos colocados e que foram passados a escrito após a célebre reunião de 13 de Maio, pode contar com estes "Melgas" até ao final deste mandato, pelo menos e do outro se assim for o entendimento dos eleitores. Uma coisa descobri nestes últimos dois meses é que o Municipio é gerido como se de uma empresa se trata-se e em que o seu administrador não dá conhecimento aos seus acessores directos da realidade dos factos e toma decisões á sua revelia...
Posso estar redondamente enganada mas é "infelizmente" assim que analizo o que se tem passado.
Quanto á providência cautelar caso seja aceite (o que está apenas nas mãos do Juíz) é apenas a meu ver a única maneira legal de deslocar o apoio de onde ele actualmente se encontra. Pois terá então duas forças a do privado que investe e não quer perder o seu investimento e a força da associação que quer este problema resolvido e aí estaremos tranquilos, pois como você próprio afirmou existe um local em Silves que ficou e está abandonado há mais de uma decada...

Nós dissemos Basta e estamos convictos que também temos os nossos direitos, mesmo que alguns não os queiram ver...

Cumprimentos,

Sónia Oliveira

Anónimo disse...

Grande telenovela Mexicana!!!

João da Ega disse...

é verdade telenovelas mexicanas é em Silves, com repercussões em Armação de Pêra!!! Só tenha pena que não apareça ninguém independente para fazer frente aos "políticos" que temos!!!

Uma coisa posso garantir, a Senhora Soares não vai ter o meu voto, já chega de prepotismo autoritário e de asneiras...

Anónimo disse...

Não existirem elementos na conta de gerência que permitam ver o que foi pago à firma do Júdice? Mas... e isso pode lá ser? Então e como é, Senhor Vereador da Oposição?

Manuel Ramos disse...

Em 1 de Janeiro de 2008 a dívida à PLMJ era de 61.346,31€; em 31 de Dezembro do mesmo ano ascende a 117.416,68€ (prestação de serviços de auditoria jurídica).
O problema é encontrar estas referências num documento extenso como o é a Conta de Gerência. Continuo a aguardar (desde inícios de Abril!) o envio do ficheiro electrónico. Ter-me-ía poupado meia-hora de pesquisa e ginástica entre papéis! Assim como ler comentários anónimos num tom pouco amistoso. Parece até que tenho a obrigação de ser eu a divulgar estes elementos!

Johny Rotten disse...

Senhor Vereador, não acha que a Dona Soares podia ter contratado outras firmas de advogados que fariam o mesmo serviço a preços mais baixos? Porquê sempre esta firma de Advogados? É por fazer o trabalho de sapa de defesa politica da malta do PSD?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.