11.10.07

Espaço Informativo

Deslocam-se amanhã a Lisboa todo o executivo municipal e os representantes da Comissão de Moradores de Vale Fuzeiros. Está ali agendada uma reunião no Ministério do Ambiente (corrijo, a posteriori, foi afinal com o director e sub-directora da Agência Portuguesa do Ambiente). O assunto, como já entenderam, é a questão do atravessamento da linha de muito alta tensão pelo concelho, concretamente, na zona de Vale Fuzeiros. Esta reunião é já consequência da que ocorreu na passada terça-feira com os representantes da REN, e que foi muito participada pelos habitantes daquela zona do concelho (notícia no Barlavento on-line). Ali se chegou à conclusão de que da parte da REN já nada há a fazer. Só a tutela que licenciou o corredor, ou corredores, que a REN quer implementar tendo para isso uma licença (conquistada sem contraditório de ninguém por já confessado erro(s) deste executivo, não esqueçamos), pode alterar agora esta situação. Em resumo, a decisão de qualquer alteração só poderá ser agora política, já que tecnicamente, tudo está concluído. Aos pedidos dos representantes dos moradores e dos membros do executivo municipal para que a REN considerasse as propostas destes, sempre mais a Norte dos corredores agora considerados, a REN respondia com o facto de ser mandatada para cumprir nos prazos um licenciamento que lhe é alheio. Recusou-se a aceitar a proposta feita pelos vereadores do PS de submeter a parecer da Direcção-Geral de Saúde o traçado da linha, no sentido desta se pronunciar pela inexistência de perigos gerados pelas ondas electromagnéticas. Justificou essa recusa pelo facto de, para além de não ser legalmente necessária, ser absurdo fazê-lo quando está firmemente convicta de que, face às distâncias de protecção assumidas, essa presunção não se colocar sequer. Considerou, porém, que havendo essa vontade deveria ser a autarquia ou qualquer dos interessados a colocá-la à DGS. Recusou-se também a parar de imediato com as obras de instalação das linhas, embora se comprometesse a desmontá-las caso houvesse desenvolvimento noutro sentido por parte da tutela (Ministério da Economia e Ambiente), e isto quando já se acordara realizar contacto urgente que amanhã se concretizará.
Enfim, foi uma reunião que teve como únicas virtualidades duas coisas: fazer perceber que o assunto agora está nas mãos do Governo e acelerar uma reunião ao mais alto nível que desde a Primavera fora requerida (mas que as manifestações e a sua mediatização poderão ter ajudado a agendar!).
Enquanto espaço informativo que é este tópico, deixo ficar mais algumas informações sobre eventos dos próximos dias:
- Mais uma vez, este fim-de-semana, o Café Inglês, brinda-nos com um excelente programa musical. A saber:
- Sexta, 12 Outubro, às 20h30 - Marenostrum, música portuguesa;
-Sábado,13 Outubro, às 20h30 - Laerth Maziero, Vilma Keuch e Ricardo Estuani, musica brasileira;
- Domingo, 14 Outubro, às 15h - Makudilé, roasted reggae quinteto.
No Sábado, 13 de Outubro, também há que referir:
- Por parte da Associação de Estudos e Defesa do Património Histótico-Cultural do Concelho de Silves, a organização das VII Jornadas de Silves que têm como tema “A Sociedade Civil e o Poder Político na Defesa dos Valores Culturais e Patrimoniais” (veja programa aqui). Na ocasião será lançado o livro "O Tombo do Almoxarifado de Silves da Casa da Rainha (Século XVI)" da autoria do Dr. Miguel Maria Telles Moniz Côrte-Real.
- Ainda no Sábado, e por iniciativa da Junta de Freguesia de S. Bartolomeu de Messines, realiza-se na sua sede a conferência “A Guerrilha do Remexido na Perspectiva Militar”, pelo oficial do exército Pedro Neves e o encerramento da exposição sobre “O Remexido”.
Embora mais tardias, mas que necessitam inscrição prévia, deixo ficar aqui o lembrete para duas importantes realizações que se fazem nos próximos tempos:
- o 5º Encontro de Arqueologia do Algarve, que decorre na Fissul entre 25 e 27 de Outubro (ver programa aqui);
- o 13º Congresso do Algarve, organizado pelo Racal Clube de Silves, que vai ter como tema central o Mar e decorre entre 15 e 17 de Novembro, infelizmente, no Centro Cultural de Lagos.

4 comentários:

silvense curiosa disse...

Sr. Vereador,
Andei a dar uma volta pelos blogues, nem posso dizer ao menos que está tudo muito morno, porque frio é o termo adequado. Tudo parado! Ao menos o Sr. foi ao Café Inglês ouvir a música de que dá conta neste espaço? Com tanto trabalho deve precisar de distracção!

Manuel Ramos disse...

Bem gostaria de ter ido, cara municipe. Mas o dever obriga a sacrifícios e a escolhas difíceis. Estive hoje nas VII Jornadas de Silves onde foi lançado um livro de grande importância para a história de Silves e neste momento, preparava um novo post informativo sobre a reunião em que estive ontem na Agência Portuguesa do Ambiente. Fiz uma breve pausa para lhe responder.

silvense curiosa disse...

Obrigada pela pausa, Sr. Vereador! Já agora, curiosa como sou, pode dizer-me o nome do livro lançado nas VII Jornadas de Silves, e sendo importante para a história desta, onde se pode adquirir?
Por todas as notícias que tenho lido, o Sr. é quase um omnipresente! Como consegue tal ritmo de trabalho? Com muita organização, está visto. Mas olhe também pela sua saúde, porque está muito magro.

Manuel Ramos disse...

O livro chama-se "Tombo do Almoxarifado se Silves da Casa da Raínha (séc. XVI)" e o seu organizador (já que se trata de um comentário a um texto inédito encontrado na Torre do Tombo) é Miguel Côrte-Real.
Sendo uma edição da Associação de Defesa do Património de Silves, será esta que o terá à venda. Mas como foi patrocinada pela Junta de Freguesia de Silves talvez lá também seja possível conseguir algum exemplar.
O seu interesse é ainda maior pelo facto de já existir e estar publicado (embora esgotado) o livro do almoxarifado de Silves do século anterior.
Agradeço a sua preocupação pela minha saúde. Mas olhe que tenho, segundo os livros, o peso ideal para a minha altura, e muito pouco varia. O que acontece é que - e isso já é de família - stress, trabalho a mais e às vezes pouco sono reflectem-se logo na minha fácies...
Mas obrigado!