8.10.07

Reunião com representante da administração da REN


Recebi do Dr. Luís Santos, chefe de gabinete da presidência da câmara, o convite para uma reunião amanhã, pelas 11.30 h, com o Engº Henrique Gomes, membro da administração da Rede Eléctrica Nacional (REN). Veremos quais os desenvolvimentos que esta reunião nos traz ao caso do traçado da linha de muito alta tensão através do nosso concelho.

Entretanto (será coincidência?), saiu hoje mais uma entrevista no Diário Económico, com direito a parangona de primeira página, desta vez do próprio Engº José Penedos (com eco também no Barlavento), na qual garante o que muitos cientistas ainda não se atrevem a garantir: que a alta tensão e os seus campos electromagnéticos não têm efeitos nocivos para a saúde. Será que vamos ter mais um "episódio da mioleira"?, algo semelhante ao que aconteceu quando se discutia a relação causa-efeito da ingestão de carne de "vaca louca". Duvido que alguém se preste agora a cobaia quando por aí já morrem pessoas afectadas pela síndrome de Creutzfeldt-Jakob!

Como diz o povo - e a lei prevê através do princípio da precaução -, nestas coisas mais vale prevenir do que remediar...

Bom, e depois de amanhã, mais uma reunião ordinária de Câmara, pública, e cuja ordem de trabalhos segue dentro de momentos.

2 comentários:

Sancho de Bragança disse...

Olá, Caro Manuel

Há uns dias que não me era possível lê-lo. Estou de volta!
Estou com alguma expectativa com a reunião com a REN. Agradecia-lhe que desse umas luzes so que se passou e em que pé é que as coisas estão.
E, desafio-o, não abandone o executivo no legítimo braço de-ferro que tem contraposto à REN. Essa prepotência centralista é cega, surda e, pelos vistos, muda. Apelo ao seu municipalismo para sedimentar a luta que a Câmara tem feito à arrogância de um certo "Terreiro do Paço".

Abraços

Manuel Ramos disse...

Ficará para amanhã, se não se importa. Tenho entre mãos a preparação da reunião camarária de amanhã. Mas desde já adianto que temo gorar-lhe as suas expectativas. Mas ficou uma possibilidade que se irá explorar, só que não envolve directamente a REN, mas o poder político ao seu mais alto nível, isto é, a tutela da REN (Ministério da Economia, Ministério do Ambiente). A "coisa" já não está, ou já não se resolve, no domínio técnico/executivo exercido pela Rede Eléctrica Nacional, está puramente no domínio político e na sua vontade de encontrar uma solução para este assunto, a contento de todos.