7.11.06

Espaço Informativo (actualizado)

  • Em S. Brás de Alportel o Orçamento e as Grandes Opções do Plano estão acessíveis a todos, e todos podem participar (veja aqui)!

E cito: «Depois de percorrer Vilarinhos, Alportel, Mesquita e Machados, depois de passar por este, oeste, norte e sul, o debate do Orçamento Participativo de São Brás de Alportel para 2007 culmina no centro, com uma sessão marcada para as 21h00 de hoje, 9 de Novembro, no Salão Nobre da Câmara Municipal.
Na Biblioteca Municipal, decorrerão actividades infantis, para que as crianças possam ficar bem entretidas, enquanto os pais participam.

Pretende-se nestas sessões ouvir as opiniões, sugestões e propostas da população, para que a proposta de Orçamento e Plano Plurianual de Investimentos apresentada pelo executivo municipal seja enriquecida com os contributos de todos, tendo por objectivo a construção de um futuro melhor, com todos.
Para estar mais perto das realidades e das necessidades dos munícipes, o executivo municipal foi ao encontro das populações dos sítios do concelho. E até ao momento já muitas propostas e sugestões foram apresentadas.

Depois da sessão de hoje, dia 9 de Novembro, resta ainda uma sessão final, que terá lugar no dia 17 de Novembro, para revelar a proposta final, após a participação popular. A sessão de Apresentação de resultados realizar-se-á também às 21h00, no Cine-Teatro São Brás.
E tal como vem acontecendo nestas sessões públicas, também sessão de apresentação de resultados, os mais novos terão um local, nas instalações do próprio, Cine-Teatro, onde poderão ficar a desenvolver actividades, acompanhados por técnicos, para os seus pais possam participar na reunião. Para que todos e todas tenham uma participação activa neste processo.

Marlene Guerreiro
Gabinete de Imagem, Documentação e Informação
Câmara Municipal de São Brás de Alportel
»

16 comentários:

Anónimo disse...

Governo central, ANMP e Governo civil, estão de acordo numa coisa, em que nós, silvenses, já somos peritos!: agilizar processos! Ao menos agora a causa é justa!

Hélia Coelho disse...

boa tarde, desculpe caro vereador , mas não me sabe dizer de quem é a organizaçao do evento a subida impossivel, realizada hoje na fonte férrea / enxerim?

obrigada

manuel castelo ramos disse...

Não, cara Hélia. Mas não me custa muito saber.

Hélia Coelho disse...

Caro Manuel,
Já sei quem foram os organizadores, Motoclube de Albufeira, agora só me falta saber quem é que permitiu uma prova daquelas , num local daqueles, um autêntico atentado á natureza uma falta de respeito pela a nossa serra e o que tem de melhor....
Estou deveras triste.Será que a autarquia foi promotora? se foi fico ainda mais triste,
sou a favor do desporto e da sua pratica,mas organizada em condições condignas e com respeito pelos outros , essencialmente pelos espaços e as gentes que o envolvem .
Desculpe Manuel este meu desabafo, mas enchi o saco esta tarde.

Joaquim Santos disse...

Cara concidadã
É um atentado e tem aspectos negativos tem toda razão. Mas também tem positivos?
O Concelho deve e devia ter mais acontecimentos. Como tudo na vida não a bela sem senão. Ficou de saco cheio… Pois eu e muita gente estamos de saco cheio com todos os membros do executivo, que fazem coisa que entristecessem o concelho. Que venha os de Albufeira e de outros concelhos, já que nós não temos iniciativa. Apenas usamos a serra para passear os fins-de-semana e a carocolada no sítio do Romano a 1 de Maio. Mas quando é para limpar a serra estão noutros sítios.
Por favor vamos lá acabar com os velhos do Restelo. Velho sou eu …

Anónimo disse...

Desculpe, Sr. Joaquim Santos, esqueceu-se do magusto, com que já há alguns anos a Sra. Presidente faz estalar castanhas, "boas e quentes, na braza!", na boca dos munícipes, no dia de S. Martinho! E ainda os entretém com um bailarico! Terá havido dinheiro para as ditas, este ano? Tem reparado nos montes de lixo, que continuam, para lá da greve? Dizem as más línguas que as viaturas de recolha já pararam por falta de pagamento às oficinas de reparações, e que os rádios dos carros também já não fazem transmissões entre si, por falta de "pilim"! Será verdade?

hélia coelho disse...

Caro Joaquim santos, eu até concordo com a utilização dso espaços, com a organização dos eventso, agora existem coisas que não podemos permitir que interfiram com as pessoas que vivem ou utilizam esses mesmos locais.
Gostava que me desse os pontos positivos da organização do evento subida impossivel, para contrapormos com os negativos.
E já agora responda.me se tivesse havido um acidente na estrada Enxerim - São Marcos da serra, se tivesse havido um incendio numa das casa da povoações mais próximas, se alguem tivesse necessitado de socorro, responda.me ontem às 3 da tarde como é que teria sido prestado socorro com so por meio aereo a estrada esteve cortada perto de uma hora.
achei deprimente o espectaculo de pisar os terrenos em autenticos actos selvagens... ontem tudo valia na fonte ferrea...
que se faça eventos desportivos mas com logistica que os comportem, nunca colocando ou interferindo com quem vive na e da SERRA.
Um Abraço

hélia coelho disse...

peço desculpa pela troca de letras

*dos
*eventos

Ps . e já agora ontem as especies autoctones, ficaram esquecidas, os ambientalistas não se insurgiram..que pena!!!

Anónimo disse...

Tudo isto se passa em S. Brás de Alportel, lá para sotavento, lá para as bandas da serra? Até têm um Gabinete de Imagem, com o rosto de uma mulher (uma Guerreira)! O que nós temos que aprender! Nós também temos um gabinete que faz vagamente lembrar este, com uma mulher que recebe uma avença e um homem que escreve umas coisas... das tais encomendadas, claro! E quando formos grandes, queremos um Executivo dialogante, como este, e que se interesse pelas reais necessidades dos munícipes, como este, e que tenha os documentos aprovados a horas, como este, e que no-los mostre, como este!

A.F. disse...

É interessante dar a conhecer aos Munícipes o que de bom vem acontecendo, um pouco por todo o lado, como no caso concreto de S. Brás de Alportel. É louvável e poderá vir a gerar dividendos.É uma questão de mudança de mentalidades.
No nosso Concelho, embora exista muita, muita gente, a comungar os mesmos sentimentos, temos a infelicidade de ter à frente dos destinos da Autarquia gente amorfa e cristalizada, destituída de imaginação para a defesa do interesse público, (sim, porque, para a defesa dos seus próprios interesses não falta. O escândalo está à vista e confirma).
É importante que todos os que não concordam com o autoritarismo e clima de arbitrariedades reinantes continuem a denunciar o que de errado está a acontecer, para que num futuro, que auguramos seja breve, a situação se altere no nosso Concelho.
É confrangedora a inoperância e falta de sentido de justiça e rigor na defesa do interesse público.
Existirão condições objectivas para a elaboração dum orçamento sério, credível e equilibrado, face ao estado caótico em que a Autarquia se encontra e ao estado de espírito dos seus executantes, comprometidos que estão com tantas irregularidades já conhecidas, não contando com muitas outras que ainda não vieram a público?
Oxalá consigam a lucidez de que não têm dado mostras possuir.
É caso para dizer " peçam a participação dos Munícipes"
A.F.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Joaquim Santos disse...

Cara Hélia
Como sabe agradar a gregos e a toianos e quase impossível, apenas pode haver um meio-termo. Claro que você escolheu logo o dia da prova para ir a serra. O seja com 365 dias foram logo escolher esse dia. Entendo o azar dos organizadores.
A cerca do encerramento da estrada.
Tem razão, podia logo acontecer naquele dia essas catástrofes todas. Mas já reparou as situações que se encontra em Silves e durante todo o ano que pode provocar catástrofes piores do que aquela que enumerou?
Só vou enumera duas. Como sabe a Rua 25 de Abril só tem um sentido e que não dá para passar dois carros tal como o centro histórico. Imagine que há um sinistro nessa zona. E por qualquer razão um carro dos bombeiros ou outro carro qualquer tem uma avaria. Tudo arde. E olha que isto pode acontecer durante todo o ano .
Mais outra como sabe há os buracos na zona histórica e com as chuvas surgem os buracos. Como consegue passar um carro de bombeiros ou uma ambulância? E segundo parece ninguém sabe quando acaba o programa pollis. E olhe que a cerca de dois anos avariou uma ambulância na Rua da Cadeia e rua intransitável na rua Mascarenhas Gregório, que mesmo o INEM chegar lá foi difícil. Não sei se a senhora morreu ou não
Sabe que muitos dos investimentos lúdicos normalmente vão para Espanha ou para outros concelhos circundantes. E sabe porque ? Não damos condições. Por isso Silves esta na cauda. Também já estamos habituados…
Com os melhores cumprimentos
Joaquim Santos

Anónimo disse...

Joaquim Santos desculpe eu vou todos os fins de semana e alguns dias de semana à serra.

E com sabe cada um sabe onde os sapatos(calos) lhe apertam, não é?
Quanto às ruas em Silves como circulo por aí poucas vezes, não vivo essa realidade se o vivesse penso que já teria manifestado o meu desagrado como fiz com esta situação da Subida Impossível..
Até à vista, saudinha.

Alma Algarvia disse...

Boas a todos,

Aqui fica o testemunho de um São-Brasense:

O conceito de Orçamento participativo apareceu no brasil e tornou-se um instrumento para o crescimento sustentavel de algunas das muito muito pobres perfeituras brasileiras, onde atravez da consulta aos municipes se procurava fazer investimentos nas areas de mais necessidades havia.

A edilidade são-brasense teve a possibilidade de conhecer esta realidade quando foi convidada pela associação in-loco a viajar ao brasil como incentivo a entrar neste projecto da associação "Projecto São Brás Solidário", do qual o orçamento participativo faz parte.

Mas nestas coisas, quando se chega a portugal há sempre um senão. A realidade portuguesa é muito diferente da (miséria) brasileira como tal é dificil aplicar este conceito nos concelhos portuguesas, até porque à boa maneira portuguesa os politicos são maquinas de auto-promoção (

a_gerencia disse...

http://sbras.blogspot.com

Anónimo disse...

Alma Algarvia,
Seja bem-vindo e obrigado pela sua participação, embora eu não seja o hospedeiro!, mas enfim, a coisa é pública!
Pois olhe, aí, os políticos, embora máquinas de auto-promoção como aqui, ainda vão ao estrangeiro aprender alguma coisa e tentar pô-la cá em execução. As viagens dos políticos silvenses ninguém sabe para que servem, para além de rebuçados dados aos meninos do sistema: nunca se percebeu o que foram fazer, o que aprenderam, o que trouxeram de mais-valia para o município. Uma certeza temos: são prémios e ficam muito caras à autarquia!