6.9.07

Espaço Informativo (actualizado)

Aqui deixo mais algumas referências noticiosas, entretanto surgidas:

- A propósito da criação da reserva do lince ibérico na Herdade das Santinhas, junto à Barragem do Arade, a notícia do
Correio da Manhã (3.09.2007).
- Dos cursos de história e cultura do Islão promovidos pelo Centro de Estudos Luso-Árabes (CELAS) na Escola Secundária de Silves, no jornal
Região Sul (5.09.2007).
- Do novo espaço aberto pelo Castelo de Sonhos, um piano-bar que se pretende um lugar aberto a eventos culturais, no antigo cine-teatro de Silves, noticiado pelo
Barlavento (6.09.2007).
- Da exposição sobre
"O Remexido", organizada pela Junta de Freguesia de S. Bartolomeu de Messines entre 15 do corrente e 10 de Outubro.
- Da Maratona BTT Caixa de Crédito Agrícola de Messines no dia 13 de Setembro, organizada pela Extremo Sul, no Região Sul (8.09.2007).
- Da poluição na Praia de Armação de Pêra, no Barlavento on-line (7.09.2007).

10 comentários:

Silvense decepcionada disse...

Gostaria de deixar os meus sinceros parabéns ao "Castelo de Sonhos", não só pela comemoração do seu 8º. aniversário, como também pela abertura do "Piano-bar", ainda mais sendo este, futuramente, e que nunca se arrependam, dedicado à cultura. Silves carece, real e infelizmente, de espaços onde a cultura se desenvolva, visto que aqueles a esse fim destinados, se encontram, infelizmente, fechados, ou abertos só para proveito de alguns.
Por falar de cultura, gostaria de manifestar o meu desagrado por um episódio hoje ocorrido: Sendo poucos os eventos culturais realizados em Silves, e sabedora da realização de um concerto de música clássica (que muito aprecio) hoje, junto da zona ribeirinha, estive presente para assistir ao mesmo, que não se realizou. Uma menina muito simpática informou os presentes de que, tendo sido feito o ensaio geral ào 20 horas, o maestro resolveu que o espectáculo não se realizaria, devido às condições atmosféricas não serem propícias aos instrumentos, pela humidade que se fazia sentir.
Tendo-lhe perguntado se não haveria um adiamento do mesmo, respondeu-me que talvez se pudesse pôr a hipótese de o mesmo se vir a realizar no Salão Nobre da Câmara, embora com um número reduzido de instrumentos, porque não havia outro espaço coberto para este fim.
E voltei a casa decepcionada, não só pela não realização do espectáculo, como perguntando a mim mesma e a quem me acompanhava, para que diabo serve o Teatro Gregório Mascarenhas? Vai permanecer fechado até quando? Não temos espaços adequados, ou não damos uso aos que existem? Para que gastámos tanto do nosso dinheiro? Só para a fachada de uma inauguração de tristes recordações?

Silvense disse...

Ainda a propósito de cultura, e se me for permitido, gostaria de lamentar aqui, embora talvez não seja o local indicado, mas a vida não é só política, a morte de Luciano Pavarotti. Como bem disse ontem um seu amigo e colega de canto, "Morreu a Voz". Claro que a sua voz não morrerá, porque, como os poetas, os grandes cantores são eternos. De origens humildes, este grande senhor do canto divulgou a ópera pelo povo e entregou muitos dos seus ganhos para crianças necessitadas e muitas obras de beneficência. Um belo exemplo a seguir por outros!

Danton disse...

Quando é que o executivo camarário faz alguma coisa por Armação de Pêra no plano cultural e ambiental?!?!?

Já estamos fartos de betão, lixo e de comboios estapafurdios... já irrita a desconsideração da Dr.ª Isabel Soares por aqueles que mais alimentam orçamento do Município... Por Silves tudo e pelos outros nada...

Manuel Ramos disse...

É triste quando a ocasião confirma o que sabemos. Não temos um espaço que receba uma orquestra, ou uma representação teatral, ou até um simples filme em formato ou som decentes. É a capital cultural do Algarve nos parâmetros deste executivo. Por isso, não pense Danton, que é só com Armação. É com todos, meu caro. Aqui não há nortistas ou sulistas, mouros ou bimbos, há simplesmente munícipes que, infelizmente, em 2005 deram maioritariamente o seu voto ao PSD! Tudo dito!

Outro silvense disse...

Também ainda não percebi bem: uns dizem que o Teatro Gregório Mascarenhas está encerrado, ainda por acabar (no interior, parece). Outros, que está terminado. Qual será a verdade? Teremos uns acabamentos e nova inauguração no ano das eleições?
E, Dante, não precisa de ter ciúmes, porque sendo Silves a sede do Município, é esta desgraça que se vê, como relatou a sivense desiludida.

Anónimo disse...

Danton, desculpe, porque lhe chamei Dante. Embora, para o caso, um ou outro nome seja indiferente, penso.

Danton disse...

Caro Sr. Manuel Ramos,

Percebo perfeitamente que todos os municipes devam ser considerados e respeitados de igual modo, sejam eles de São Marcos da Serra, Silves ou Armação de Pêra! Senão vejamos, o princípio da igualdade assim o impõe, tratar igual o que é igual e desigual o que é desigual...

Contudo, o meu anterior comentário prende-se mais com um mero desabafo de revolta de um cidadão que pretende ser pró-activo e não apenas um mero consumidor de resultados eleitorais...

Por outro lado, temos de ser razoáveis e ter o bom senso de reconhecer que em Silves foi realizada alguma obra com interesse público, o que tornou a cidade mais atractiva e acolhedora, conferindo-lhe um certo misticismo derivado da riqueza da sua própria história... Contudo, o mesmo não posso dizer em relação a Armação de Pêra, e julgo que o Senhor concordará comigo..

Assim, não posso deixar de apontar o dedo ao executivo camarário da Dr.ª Isabel Soares, a qual é a principal responsável pela descaracterização e destruição da tipicidade da vila de Armação de Pêra, bem como a outros senhores que também tiveram a sua oportunidade de usufruir do poder municipal...

O Senhor considera normal que numa vila com cerca de cinco mil habitantes anuais e com capacidade para mais de dez mil habitantes, onde existe betão e mais betão sem fim, não exista um unico espaço verde? não existe um unico jardim? onde não existem equipamentos desportivos de utilização colectiva que satisfaçam suficientemente as pretensões da população, principalmente dos jovens? onde não há uma única biblioteca? Nem existe um museu que foque as raízes históricas da vila!!!

Para somar a estas insuficiências gritantes que pesam na qualidade de vida dos armacenenses, acumulam-se aberrações insuportáveis (e em relação às quais não consigo compreender como é que a oposição não logra capitalizá-las a seu favor), desde logo, a começar pelo comboio turístico que constitui um meio de fazer vender as fracções autónomas dos prédios que crescem como cogumelos; passando pela recolha do lixo que raramente é feita, sem esquecer as sucatas ao ar livre, os esgotos a transbordar e os cheiros nauseabundos a vaguear nas ruas da vila durante o Verão, tal como as baratas que passeiam alegremente nas esplanadas de restaurantes e bares; e tudo isto sem esquecer as ruas repletas de buracos na parte mais antiga da vila... E trata-se de uma vila turística à beira mar, isto é tudo menos potenciar turismo de qualidade...

Face ao exposto, questiono-me se resido num município do Terceiro Mundo ou se estou mesmo na Europa, em Portugal, num município chamado Silves!!! Será que a Dr.ª Isabel Soares conhece bem a triste realidade de Armação de Pêra?

Posso lhe garantir que os Armacenenses estão dispostos a castigar quem se encontra actualmente no poder e que por eles só demonstra ingratidão e desconsideração... mas, simultaneamente, temo que os próximos sejam mais do mesmo... sobretudo, porque não vejo a oposição a capitalizar todas as gaffes e asneiradas cometidas pelo executivo camarário, sobretudo as que são cometidas na Vila de Armação de Pêra...

Gostaria também que nos mantivesse informado das próximas Assembleias Municipais a realizar em Armação de Pêra, porque relativamente àquela que se realizou em Janeiro, todos nós sofremos com a falta de transparência quanto à publicidade da sua ocorrência...

Manuel Ramos disse...

Agradeço o seu comentário, caro Danton(bem mais próximo de Robespierre que do italiano Dante) e solidarizo-me com o seu conteúdo e indignação, e que plenamente justificam o pseudónimo. Armação de Pêra é com certeza um "caso", seja pela situação a que chegou, hoje já um paradigma do mau Algarve, seja pelo seu comportamento eleitoral recente. Abandonada, esquecida, mal-tratada, e contudo, a galinha dos ovos dourados da receita orçamental concelhia; ainda assim, vota PSD na Freguesia, vota PSD para a Câmara. E já lá vão três mandatos. Quanto a capitalizar as gaffes que se cometem em Armação,acho que não é preciso a oposição fazê-lo, ainda a acusam de querer destruir o turismo de que vive a vila; basta a população ter isso mais em conta quando vota, não acha?!
Quanto à divulgação das reuniões das assembleias municipais, ainda que essa seja obrigação de outros, sempre aqui a faço.Cumprimentos.

Danton disse...

Caro Sr. Manuel Ramos,

Tal como refere, a população tem votado PSD... não vou me debruçar sobre as razões de tal sentido de voto, mas posso informá-lo que começa a nascer em Armação de Pêra um movimento de cidadãos independentes e pro-activos que irão fazer os possíveis para tornar a nossa democracia "municipal" mais participativa, nomeadamente em Assembleias Municipais a realizar em Armação de Pêra, e que já tem dado um ar da sua graça no blog de cidadania de Armação de Pêra... a Dr.ª Isabel Soares e o Sr. Fernando Santiago que se cuidem, pois ninguém melhor do que os cidadãos para fiscalizar a sua actuação governativa e assacar as suas respectivas responsabilidades...

Manuel Ramos disse...

Fico satisfeito com essa vontade, que aliás já constatara nos tópicos e comentários do blogue que refere. Nada pode substituir (nem mesmo os políticos ou, como prefiro, mandatários dos munícipes, como me considero)os próprios munícipes na acção participativa e organização das suas comunidades.
Para qualquer coisa....