15.12.07

Orçamento da CMS para 2008

Não promovendo esta autarquia a divulgação e discussão pública de um documento com a importância das Grandes Opções do Plano e Orçamento para o nosso concelho, como já outras fazem, entendi que seria útil a sua publicação neste espaço, ainda antes do próximo dia 20, data em que a Assembleia Municipal o irá discutir.


3 comentários:

Anónimo disse...

Na passada sexta-feira esteve na Câmara de Silves o ex-ministro Morais Sarmento, o qual, como devem saber, é sócio de José Miguel Júdice na firma de advogados que está a defender Isabel Soares sobre o caso Viga D’Ouro e outros.
Não se sabe ainda se o senhor foi chamado por causa da nova visita, desta vez mais discreta, que a Polícia Judiciária fez no outro dia à Câmara e que segundo consta “levou mais algum material sobre o caso Viga D’Ouro para estudo”, ou se foi por causa do caso dos Campos de Futebol nos terrenos do Enxerim.
Ao que parece, desta vez, a “ Toupeira “ não entra neste jogo e vai certamente ficar muito incomodada. Lá se vai a vaidade e o pavoneamento nos corredores do edifício. Estaremos cá para apreciar…

Anónimo disse...

Onde é que esta Câmara irá buscar tanto dinheiro? :D

mulher do zé dos anzóis disse...

Olhe, Sr. Dótor, o mê maride está ainda um pouque zonze, per modes disse na le pode arresponder sobre esta coisa do orçamente. E ainda na l'esqueceu que vomecêa na l'arrespondeu da última vez qu'ele aqui teve. O home ficou même mal, com aquela coisa dos gales, mas já tá menhor. Pediu pr'a eu le dezer (más sou case analfebeca), per isse tenhe certas adeficuldades. Ele diz qu'inda tá melindrade c'a mecêa n'a le diz nada e que guestava de le dar openião sobre iste. Más mecêa tome lá a diantêra e diga calquer cousa ó home! Ele n'a tem tinta no tintêro do acampetador, na pode tirar cóipas desta coisa toda. E manda dezer que na tá habituade a cansultar dequementes assim, só a olhar pr'ó vidre. Gosta de ver os papeles, pr'a ver se uma cousa rima c'a outra. Ele chama a isse canfrantar dequementes. No papel ele pode arriscar o más impertante cam uma caneta de tinta apermanente qu'ele herdou do pai dele, e ver s'as coisas batem certe! Olhe, é n'a tenhe nada a ver com iste, isse em entre mecêas, más o Dótor n'a facelita as coisas. Entendam-se vomecêas.
É cá já disse o que tinh'á dezer, m'adespece com muntos comprimentes. E pr'á su famila tamém. S'a gente n'a se voltar a'screver, um bom Natal e umas boas entradas (no ane nove, tá clare).
E tem uma criada ó sé despor, se mecêa n'abesar!