23.10.06

23 de Outubro - um ano de mandato de Isabel Soares

Faz hoje, 23 de Outubro, um ano sobre a tomada de posse de Isabel Soares para o seu terceiro mandato.
Um campanha recheada de promessas, um primeiro ano recheado de disparates e escândalos: demissão antecipada de um vereador e vice-presidente (às urtigas as razões pessoais), duvidoso e oculto protocolo com a família Mascarenhas para transferência do Estádio Municipal, obras inauguradas nas vésperas das eleições e ainda hoje fechadas, Polis adiado, factorings ocultos, dívida galopante, clientelismo evidente, escândalo Viga d'Ouro.......
É difícil realizar tanto disparate num só ano! Isabel Soares, a Presidente, conseguiu-o!
Com Silves no Coração!

22 comentários:

Anónimo disse...

Não entendi uma coisa: a Sra. que diz(ia) ter Silves no coraçâo acusava, para a Imprensa, "vários vereadores" de estarem implicados no escândalo; desses vereadores só saíu um; a Sra.diz agora que do actual executivo ninguém está implicado... quem eram então os outros, supondo que não deviam ser da oposição?

anónimo forçado disse...

Felicito-o, Dr. Manuel Ramos, pessoa que muito admiro e respeito, pela existência do seu blogue, pelo registo de tanta informaçáo e desta tão triste efeméride.
A ainda Senhora Presidente, não diz coisa com coisa. O desnorte começa a ser por demais evidente.Quanto mais fala mais se enterra, como diz o velho ditado.
Há outro ditado, que espero venha a cumprir-se e que é "A verdade é como o azeite e vem sempre ao de cima".Só resta esperar.É pena que estas coisas levem tanto tempo até serem esclarecidas.
Como é que tantas arbitrariedades. tanto autismo, autoritarismo e falta de respeito pelos Munícipes tem vindo a ser consentido? Porque é que o Orgão "Assembleia Municipal" nunca tomou posição pública sobre o que vinha ocorrendo? Como é que pode exercer o papel que lhe compete, no âmbito da Democracia em que se diz vivermos, se o Executivo lhe sonega informação?
E a oposição, sobretudo do Partido Socialista. Por onde tem andado?
Fico-me por aqui.
Parabens, Dr Manuel Ramos, com votos de que esta triste efeméride não se registe no próximo ano.
Anónimo forçado.

Anónimo disse...

Com Silves no coração?
Eu diria "Com um tijolo no lugar do coração"
Parabens ao primeiro comentador pela oportuna observação.

Anónimo disse...

Por outro lado... Sendo vários os vereadores implicados, tendo saído um, não sendo os restantes da oposição, quem é que a presidente defende ou encobre? Fá-lo por eles ou por ela? Porque é que os acusava e agora não? E não sobra nada para o do Ambiente? Seria quase lógico... Também ficou surpreendido?

Anónimo disse...

La formiguitta said
Las fomiguittas trabalham...trabalham que se fartam...para quem???...Imaginem... como na história da carochina.Pra esperta da Sra DrªCigarra (sabem quem não é?) lá no seu poleiro a catarolar:"...Meus queridos estou aqui para vos lixar..." E esta? Hem!! Lá dizia o nosso saudoso Fernando Pessa

Anónimo disse...

Já que é fácil dizer todo o tipo de alarvidades como anónimo, aviso também que, é de muito mau gosto acusar pessoas sem provas e até punível por lei. Atenção!

Anónimo disse...

Finalmente um defensor! Bem-vindo!
Mas com ameaças! E avisos! E também anónimo!

Anónimo disse...

Mas.... não é possível!.
Então, o Senhor anónimo anterior, ameaça, diz que é feio, e, depois, não se identifica, como seria de esperar? também se refugia no anonimato?.
É de estranhar que, estando do mesmo lado da barricada, tenha MEDO.
O medo seria para os outros.
Talvez tenha razão. Nunca se deve confiar em excesso.

Anónimo disse...

Anónimo anterior, salvo seja... Queria o Sr. dizer ante-anterior! Aquele deve ter sido um dos das dezenas de recentes ou futuros próximos contratados, mas eu ainda apostava mais num dos recém-reclassificados...

Anónimo disse...

Tem toda a razão.As minhas desculpas pelo lapso.

Anónimo disse...

Não tem de quê! Errar é humano! Um anónimo ao seu serviço!

Anónimo disse...

Nunca vi tanta ignorância junta!

Anónimo disse...

Eu também sou anónimo, porque tenho uma familia a defender, mas acho que já chega tanta conversa estragada, inclusivamente estão a ofender e a denegrir a imagem de muitas pessoas que trabalham na autarquia de Silves e que nada têm a ver com este assunto, Há que respeitar as pessoas, ou não têm civismo nenhum...

F. P. disse...

Tenho estado a ver toda esta conversa á já alguns meses e nunca disse nada.
Mas segundo dão a entender os maus da fita são os funcionários públicos.
Que fiquem sabendo, os funcionários públicos são pessoas de bem. E qual quer um deles dá o seu melhor dentro dos seus conhecimentos e possibilidades.
Se perguntarem se esta tudo bem dentro da administração publica? Não está.
É motivador um técnico a trabalhar e a ganhar menos do que uma senhora de limpeza?
É motivador não haver formações constantes? E muitas vezes aprendermos através de colegas de outras Câmaras?
É motivador estarmos sempre sob suspeita? ( se algum funcionário compra um carro ou uma casa, o comentário e logo “ este também rouba” )
Poderia enumerar muitas situações.
Também sei como em qualquer lugar há pessoas que fazem coisas menos correctas, e muito graves. Para isso há procedimentos e entidades para averiguar, essas atitudes. No caso que anda por ai em voga, deixem as coisas correr normalmente e confiem nas entidades que estão a tratar desse assunto.
Se algum membro deste ou do anterior executivo fez alguma coisa menos correcta, a justiça ditará a sua sentença. Até lá as pessoas continuam a serem integras. Se há pessoas que estão mal dispostas com este executivo. E simples aguardem até a próximas eleições exponham os seus programas e o povo ditará de sua justiça.

manuel castelo ramos disse...

Caro FP,
Embora hajam muitos comentários que em nda acrescentam a um razoável debate, não acho que se tenha aqui feito dos funcionários públicos "os maus da fita". Eu próprio sou funcionário público, e por muito que tenha a dizer de alguns deles, não o faço publicamente, porque destesto generalizações simplistas. E se algum dos comentadores o fizesse, também não deixaria de o contradizer. Quanto a dizer que haverá pessoas mal dispostas com este executivo, por certo que há. Mas não será propriamente "má disposição" aquilo que, no meu caso, sinto: antes uma profunda discordância de forma, método e prática política. E não alieno o direito de a manifestar porque a democracia não se resume ao voto depositado de 4 em 4 anos.
E obrigado...por,ao fim desses "alguns meses", finalmente se atrever a participar.

Anónimo disse...

Se não está a falar dos funcionários públicos, então porque é que alguém escreveu que os funcionários públicos estão a ser obrigados a assinar documentos que já foram pagos e etc...
Quem fala por vezes não está muito dentro do assunto,porque não questionar a quem sabe o que se está a passar?!...
O processo deve correr fluentemente sem intervenções de baixo nivel, deixem as pessoas competentes resolverem este caso...
Talvez cada um de nós tenha um lado menos bom, então porquê criticar o outro...
Mais cedo ou mais tarde a verdade vai aparecer, então deixemo-nos de expuculações medíocres.

A.F. disse...

Interessado como estou em ver o último capítulo. desta trágico-comédia, dei uma vista de olhos pelos comentários e não encontrei qualquer referência a funcionários públicos,designadamente, no comentário em que alguém fala em assinaturas em facturas, o que também me fez alguma confusão.Mas, enfim, tudo isto é uma grande confusão.
O comentador,certamente, gostaria de estar por dentro do assunto o que eu não julgo possível, a menos que existisse transparência. Mas o que é isso de transparência? Era o que faltava.
Poderia perguntar, mas a quem?.
Quem responde a quem?.
Todos esperamos e ansiamos que, no mais curto espaço de tempo, se inicie um processo, que seja breve, para que as coisas se clarifiquem de vez e haja paz e sossego no espírito dos homens e das mulheres de bem que, dando nalguns casos o seu melhor contributo à "coisa pública", vêm pairar sobre as suas cabeças algumas suspeições.
A verdade é sempre o argumento mais forte.
A.F.

Anónimo disse...

Desculpe, mas devia estar um pouco desatento. Mesmo acima, no assunto respeitante à reunião da C.M. de 25 de Outubro, alguém escreveu sobre a obrigação da assinatura de facturas, de forma tão visível, que até está em maiúsculas, em comentário de 28 de Outubro, tendo o Sr. também por lá passado em 3 de Novembro...

Anónimo disse...

Quem trabalha na autarquia não é, por inerência, funcionário público. Veja-se a lei 23/2004, art. 2, nº2 em http://sigarra.up.pt/fpceup/LEGISLACAO_GERAL.ver_legislacao?p_nr=108

Anónimo disse...

Mesmo sem ir ver a cábula, muita gente sabe que, com ou sem inerência, quem trabalha na autarquia não é funcionário público. De tal maneira que, regra geral, a legislação que sai para este, ou seja, administração central, é depois aplicada, através de legislação própria, e com especificidades, à administração local.
E se não foi funcionário público até aqui, também não o será no futuro, que é dos "contratados", e estes são "trabalhadores" da autarquia.

fp disse...

Porque razão há diferença nos funcionários públicos a mesma categoria os vencimentos são diferentes de Ministério para Ministério?
fp

Anónimo disse...

Uma boa pergunta a fazer a quem governa! Mas penso que ganham na proporção em que arrecadam... Veja-se os vencimentos dos funcionários das Finanças, comparados com outros... por exemplo!